Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

sábado, 25 de agosto de 2012

A ação do JAMAC no ateliê 1m2


Julho, 2012.
Dia 1º, ateliê 1m2 recebeu Mônica Nador do JAMAC (Jardim Miriam Arte Clube), para uma fala e uma expo relâmpago. O público presente ouviu o relato sobre a ação realizada no alto do Morro da Providência, com a Casa Amarela, na semana anterior. Convidei o JAMAC para vir ao Rio e responder com pintura à pintura imposta pela prefeitura aos habitantes da comunidade que um belo dia amanheceu com várias fachadas pichadas com iniciais da Secretaria Municipal de Habitação, determinando a demolição compulsória das casas.
Dia 24. Recebo um email dos administradores da Bhering falando sobre notificação, intimação, vara, execução, embargo. Em resumo: neste dia, um oficial de justiça começou a entregar intimações de despejo aos locatários. Trinta dias, ponha-se na rua. A fábrica foi leiloada no ano passado, para surpresa de todos, e agora a justiça exige a desocupação em prol do novo proprietário. A lei não garante direitos aos locatários em caso de leilão. Ponha-se na rua.
A ação do JAMAC no 1m2/Casa Amarela intuiu uma relação entre a comunidade da Providência e os artistas da Bhering, que essa recente ordem judicial confirmou. Todos estão à mercê de um novo poder, a parceria público-privada, e da especulação imobiliária. Somos todos parte do precariado, e é importante que nos reconheçamos uns aos outros para fortalecer interesses humanos comuns frente ao capital.
Minha intenção era construir pontes, um primeiro passo para encontro, troca e transformação. Uma ponte bem longa, ligando um agente cultural bem-sucedido da periferia de São Paulo até o centro cultural de uma favela em situação de emergência do Rio. Outra ponte, inscrita na região do Porto Maravilha, para conectar dois pontos que, na época, representavam exemplos bem distintos das rápidas mudanças na zona portuária. Enquanto o Morro da Providência acordou com mais de 800 casas marcadas para demolição e perdeu sua quadra de esportes e eventos, a antiga fábrica da Bhering recebia cada vez mais artistas da zona sul da cidade dispostos a investir em infraestrutura e trabalhar na região. Pareciam ser dois pontos opostos da equação de gentrificação. Mas diante da especulação imobiliária, a comunidade do morro e artistas compartilham a mesma condição de precariedade.
O mecanismo que opera a ordem de despejo é diferente nos dois casos, mas ambos agem com extrema truculência, ignorando fatores subjetivos e culturais, apoderando-se de valores que lhe interessam e destruindo tudo o que fica no caminho. A cidade parece se moldar exclusivamente para o turista, ignorando as necessidades e direitos de seus próprios moradores. É o turismo a única vocação do Rio de Janeiro? Queremos uma paisagem maquiada de clichês?
Em 18 meses, produzi naquele quadrado mais de 80 aquarelas, apresentei uma instalação e recebi projetos de outros artistas em duas exposições, um show, uma performance e uma fala. O 1m2 também se transmaterializou em uma exposição no centro do Rio e numa ocupação em Lisboa. O 1m2 acabará em breve. Já planejo um último evento de despedida, provavelmente à la Galeria Rex. Tragam suas picaretas e amplificadores. A gente sai, mas faz barulho
Fonte: Overmundo

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Um novo plano de trabalho


70 armários* ou filtros ou arquivos fazem parte desta obra aberta que se acerta no andar da carruagem. Ainda não sei como lidar com isso. Senão vejamos. Cancelei a assinatura do UOL e, como meu email será deletado por estes dias, vi-me obrigado a salvar coisas por lá, não sei se vai dar tempo salvar tudo, cancelei o débito automático em favor do UOL há mais de um mês, portanto tenho que correr para ler todos os email, são mais de 17 mil emails, a maioria de spam, que tem me dado muito trabalho. O que tem a ver isso com o novo plano de trabalho. É que, lendo coisas antigas minhas, vi que escrevo sem filtro, assim, a la vontÉ,  daí que o lugar certo de fazer isso é de forma esparramada pelos 70 armários, não sei como resolver isso, estou indeciso.

A intenção é usar, por exemplo, o armário de hoje, 18 de saturno, para atualização. O prazo para a conclusão da obra é de um ano, não sei não sei não sei.

No mínimo será estranho, os 70 armários terão chaves, já que não haverá filtro? Quem poderá abrir os 70 armários? O meu médico?  O spin cantor? Quem? Não sei não sei. Ao menos a classificação para blog adulto, vai que nessa falta de filtro escapa algo impublicável. Não sei não sei não sei. Só experimentando ou ohando ou sendo. Cá prá nós, pela experiência que tive ao reler meus email escritos sem o menor filtro, melhor usar chaves nos armários.

Ou seria melhor fazer as coisas aqui e jogar prá lá como forma de afastamento da obra, tá aqui o melhor crivo ou filtro: Afastar-se do olho do furacão ou obra. Talvez seja melhor então fazer as coisas por aqui e ir guardando lá, se daqui um mês esse poste for levado para lá, ficará em branco,,,,
E ficando em branco como os spinautas ficarão sabendo que o autor morreu, uma vez que tem que se partir de uma data e contar, a partir daqui, 1 ano,... ....não sei como resolver isso....,,, não vou pirar por causa disso, seja o que o spin deus quiser,,,se tiver que ficar sem data fica,,...qual o problema de morrer como indigente, sem nome, melhor assim, fui

* rascunho ?????

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Fwd: Dia 01 do mês de Júpiter


Mensagem original
De: jose carlos lima < jose.carlos.lima@hotmail.com >
Para: edson_barrus@ig.com.br
Cópia: neymatogrosso@uol.com.br,passetti@matrix.com.br,joao@glx.com.br,dani.psic@bol.com.br,ladgero@terra.com.br,clmelo@cultura.com.br,contato@olhosalma.com.br,efiterman@brturbo.com,bentoxvi@vatican.va,protocolo@planalto.gov.br,jl2006@uol.com.br,loganalise@loganalise.com,alexandre.pereira@unifap.br,pvj@terra.com.br,fabio.tremonte@uol.com.br,ateus@ateus.net,edneyantunes@hotmail.com,carlosbrandao@dm.com.br,o_melhor_anjo_@aeiou.pt,mlontra@uol.com.br,brasigoisfelicio@hotmail.com,etetuba@uol.com.br
Assunto: Dia 01 do mês de Júpiter do ano 666.666
Enviada: 21/03/2006 10:00

Hoje, 21 de março, é o começo de um período que durará 73 dias. Hoje estamos
entrando no segundo mês do ano 777.777. Isto é um mensário. Se é um mensári o
artístico? Não tenho esta intenção. Trata-se de um mês de 73 dias no qual,
durante 70 dias pretendo produzir algo. Ou nada produzir. Será um período
para o qual estarei atento. Ao final dos 73 dias quero ver o que fiz.
Preciso me organizar.
>From: "jose carlos lima"
>To: fale@dm.com.br
>Subject: Opiniao do leitor/ referente deputado que luta contra direitos das
>pessoas
>Date: Tue, 21 Mar 2006 09:26:05 -0300
>
> Gays x merecimento
>
>Engraçado um deputado usar seu mandato para lutar contra aquilo que, é
>obvio, pertence às pessoas. Este é o caso do deputado federal e pastor
>evangélico Pedro Ribeiro, do PMDB do Ceará que, conforme nota publicada no
>Café da Manha (DM 20-03-2006), luta contra a lei que dá direito ao parceiro
>homossexual ser incluido no plano de saúde. Por sinal, o Poder J udiciário
>tem tem garantido tal direito em todos os Estados do Brasil, inclusive em
>Goiás. Isto é uma verdade: o sol nasce para todos. Ou será que nasce
>apenas para aqueles que vivem conforme preceitua relgião A ou B? Todos nós
>merecemos. A atitude do deputado leva-nos a refletir sobre o pertencimento,
>uma palavra muito em voga, que dá reflexão ao seguinte problema:
>independentemente de nossa cor, classe social, orientação sexual, temos
>direito a que? O que nos pertence? Será que somente aqueles que professam a
>religião A ou B têm direitos? Neste sentido é que devemos estar atentos
>para atitudes como esta do deputado evangélico, até mesmo porque não
>vivemos sob uma teocracia, regime sob o qual são perseguidos e muitas vezes
>decapitados aqueles que não professam a religião determinada pelo Estado.
>Lamentável termos que falar disso dep ois de quase um milhão de anos de vida
>humana sobre a Terra. Afinal de contas, o mundo está regredindo ou
>retornando à Idade das Trevas? Quando nos deparamos com crianças empunhando
>fuzis para, a serviço do tráfico de drogas ganhar um salário mínimo, não é
>difícíl concluir que uns mercem mais que outros. Aqueles que nascem em
>berço de ouro merecem tudo. Quanto a um favelado, a morte. Por issos temos
>de estar estar atentos para atitudes como esta do deputado Pdero Ribeiro e
>lutarmos por aquilo que nos pertence, desde a preservação ambiental a uma
>vida afetiva-sexual equilibrada e ao nosso modo e não conforme aquilo que
>determina deputado A ou B. Lutemos para termos direito àquilo que nos
>pertence, como por exemplo, o acesso aos planos de saúde, prática do
>esporte, tudo. É lamentável que um deputado confunda o Estado brasileiro
>como uma teocracia. Numa teocoracia, o indivíduo que não professa a
>religião determinada pelo Estado, é exluido e, muitas vezes decapitado. Um
>deputado deveria exercer seu mandato para conceder direitos e não para
>lutar para que não seja concedido às pessoas o que, é óbvio, lhe pertence.
>Ou será que o sol brilha apenas para ele e para os seguidores de religião A
>ou B? É chato ter que está falando isso mesmo depois de tanto tempo de vida
>humana na face da Terra. Os gays, os negros, os favelados e outros
>excluidos devem se reconhecer como merecedores de tudo o que de bom existe,
>desde uma vida afetiva equilibrada a um trabalho digno e protestar contra
>mentalidades como esta do deputado e pastor evangélico Pedro Ribeiro, do
>PMDB do Ceará.
>
>José Carlos Lima, Goiânia - Go
>Rua 233, n. 161, ed. 1 de maio, apt. 704 Setor Universitario
>fone
>3212-2865



Em tempo: não sei o que vou fazer durante este mês que se inicia hoje.
Talvez nada. Caso eu não responda alguma carta sua, é porque este lance de
email tá muito complicado. Depois de mais de vários dias sem abrir o email,
hoje fui abrir e vi que um convite de Fábio Tremonte para uma exposição sua,
estava na pasta Lixo Eletrônico. Se eu não tivesse aberto o email hoje a
mensagem teria sido excluida automaticamente. Entao pode ocorrer que alguma
mensagem eu nem chegue a ler por ter sido excluida automaticamente. Para
evitar isso, vou ver se há algum email que não permita isso. Se continuo
querendo colocar o audio das sessões de terapia num podcasting? Ao ouvir a
sessão que gravei, com a Dra. Valéria, vi que não tem nada a ver. Teria a
ver sim, se o meu personagem aflorasse. Geralmente os terapeutas não dão
corda para este tipo de manifestação. Entã o nada a ver. Quem sabe, dentre as
várias sessões, eu note que uma delas se justifica ser tornada pública. Se
não me cobro por ter aberto tanto a minha intimidade? É minha história. Sei
que muita coisa não interessa aos outros. Quem sabe dentro deste universo
caótico eu não consiga extrar algum ouro? Tenho me envergonhado de algumas
coisas que revelei sim. Mas fazer o que se sou eu? Por hoje é só. Jà devo
estar falando bobagens.

Jose Carlos Lima

_________________________________________________________________
Seja um dos primeiros a testar o novo Windows Live Mail Beta. Acesse
http://www.ideas.live.com/programpage.aspx?versionId=5d21c51a-b161-4314-9b0e-4911fb2b2e6d

Aavestruz, spin ladra

jornais goianos estampam a imagem=nome de Idéia Sem Rosto
trata-se do escândalo da avestruz
Avestruz Master, spin ladra, pessoa jurídica
a Avestruz Master roubou de muita gente
aliás, nem posso escrever nomes que provocam aquilo que eles 
simbolizam=olham=são
por isso será escrito apenas AM, spin ladra, pessoa jurídica
muita gente investiu suas economias na AM, spin ladra
o ricardo tinha tudo la
quase meio milhão de reais
perdeu tudo
acho muita coincidencia que, no momento em falo de Idéia Sem Rosto, a 
manchete desta cidade-estado, no momento, tem como simbolo uma avestruz
e o que eh Idéia Sem Rosto senão uma avestruz?
isto se chama sincronicidade
preciso entender mais a simbologia da avestruz
as pessoas avestruzes
o ato de esconder o rosto
ocultar as idéias
adiar tudo
jogar tudo para debaixo do tapete
tudo a ver com o significado popular da avestruz
no momento, aki em goiás, as pessoas, quando querem xingar o outro, xingam 
de avestruz
vejo tanta coincidência nisso tudo!!!!!!!!!
estou enviando anexo a capa do jornal falando da avestruz
na verdade fala de Idéia Sem Rosto
o ser mais iimpronunciável do mundo

-----------------------

A seguir, consta um convite de Edson_Barrus para que eu participe de um 
evento artístico
se eu for, pretendo apresentar a performance "o velório de idéia"
Idéia Sem Rosto
a morte que se autodenomina "Idéia Sem Morte"

Grato,

José Carlos Lima

Goiânia - Rio Meia Ponte


................................... FIM DA 
APRESENTAÇÃ..........................
THE END

A SEGUIR, A RESPOSTA DO ARTISTA EDSON BARRUSM AO MEU E-MAIL, QUE SEGUE 
MAIS ABAIXO AINDA

>From: "caomulato" 
>To: "jose\.carlos\.lima" 
>Subject: Re:completando o e-mail anterior, sou o jose carlos , de goiania,
>Date: Thu, 10 Nov 2005 16:38:48 -0300
>
>oi jose carlos, tudo bem?
>logico que lembro de voce. atualmente vivo em Paris. vamos no entanto nos
>encontrar no Res do Chao este fim de ano para fazer um Açucar Invertido.
>voce gostaria de participar conosco? o paulo ja confirmou presença, porque
>voce nao vem com eles? peço no entanto para voce me contactar no e-mail
>edson_barrus@ig.com.br, pois quase nao uso este e-mail.
>um grande abraço
>
>
>---------- Início da mensagem original -----------
>
> De: "jose carlos lima" jose.carlos.lima@hotmail.com
> Para: caomulato@bol.com.br
> Cc:
> Data: Thu, 03 Nov 2005 08:57:24 -0200
> Assunto: completando o e-mail anterior, sou o jose carlos , de goiania,
>
> >
> > amigo do pessoal do Grupo Empreza, o Paulo Veiga Jordão, o Alexandre
> > Pereira
> >
> > Dei uma afastada legal
> >
> > Estava dando um tempo para ter clareza...
> >
> > E quero saber o que vcs estão fazendo, como posso participar com minha
> > história
> >
> >
> > Grato,
> >
> > José Carlos Lima
> >
> > Goiânia - Rio Meia Ponte

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Estupro no BB12: Não pode na TV nem em lugar nenhum

O evento acontecido no BBB é cotidiano em grande parte das festas, é só perguntar para os jovens que costumam ir a baladas noite a dentro (Comentário de Drigoeira ao post "MPF de SP entra no caso BB")

Drigo, não confunda as bolas. Bebedeiras e bacanais em espaço privado, sem estupro,  pode. Na TV não pode porque se trata de concessionária de serviço público, há regras e limites sim, tá na lei. Para o MPF as imagens e sons serão suficientes para, caso queira, chame a Globo às falas. Para que a concessão da Globo seja cassada nem seria necessário ter havido estupro. Tudo o que ocorreu ali se constitui num rosário de crimes, indo desde a apologia  ao  estupro à indução de crianças e adolescentes à prostituição e ao acoolismo, sem falar na propaganda dos maus-tratos contra as mulheres.

Como a busca pela grana, poder e fama fazem milagres, a vítima recusou-se a fazer exame de corpo de delito e, agora, faz o joguinho da Globo que, é claro, colocou 4 advogados de plantão para "assessorar" a vítima. Sim, para a Justiça continua sendo vítima mesmo que não queira, pois se tratam de crimes de ação pública, ou seja, não depende da vontade da vítima para que o processo siga em frente.

Já que deu amnese geral na turma, vamos dar  uma mãozinha aos peritos degravando o vídeo:

Video 1 (Guardado no Blog 170º de coisas impublicáveis do spin)

Min 5: A vítima está totalmente imóvel enquanto o acusado faz fuck fuck

Min 6: A vítima, mesmo inconsciente ou semi-inconsciente, demonstra sentir dor e desconforto ao balbuciar palavras como "pára....ai...não..."

Video 2 (Perdi o link, ah sim, está no Blog 170º)

Min 0:40: Alguém bate na porta várias vezes, o acusado apressa o fuck fuck e, logo depois goza, ou seja, antes de ser impedido pela presença do colega de quarto.


Imagem retirada do vídeo,  continue lendo