Volte ao SPIN

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Estupro no BB12: Não pode na TV nem em lugar nenhum

O evento acontecido no BBB é cotidiano em grande parte das festas, é só perguntar para os jovens que costumam ir a baladas noite a dentro (Comentário de Drigoeira ao post "MPF de SP entra no caso BB")

Drigo, não confunda as bolas. Bebedeiras e bacanais em espaço privado, sem estupro,  pode. Na TV não pode porque se trata de concessionária de serviço público, há regras e limites sim, tá na lei. Para o MPF as imagens e sons serão suficientes para, caso queira, chame a Globo às falas. Para que a concessão da Globo seja cassada nem seria necessário ter havido estupro. Tudo o que ocorreu ali se constitui num rosário de crimes, indo desde a apologia  ao  estupro à indução de crianças e adolescentes à prostituição e ao acoolismo, sem falar na propaganda dos maus-tratos contra as mulheres.

Como a busca pela grana, poder e fama fazem milagres, a vítima recusou-se a fazer exame de corpo de delito e, agora, faz o joguinho da Globo que, é claro, colocou 4 advogados de plantão para "assessorar" a vítima. Sim, para a Justiça continua sendo vítima mesmo que não queira, pois se tratam de crimes de ação pública, ou seja, não depende da vontade da vítima para que o processo siga em frente.

Já que deu amnese geral na turma, vamos dar  uma mãozinha aos peritos degravando o vídeo:

Video 1 (Guardado no Blog 170º de coisas impublicáveis do spin)

Min 5: A vítima está totalmente imóvel enquanto o acusado faz fuck fuck

Min 6: A vítima, mesmo inconsciente ou semi-inconsciente, demonstra sentir dor e desconforto ao balbuciar palavras como "pára....ai...não..."

Video 2 (Perdi o link, ah sim, está no Blog 170º)

Min 0:40: Alguém bate na porta várias vezes, o acusado apressa o fuck fuck e, logo depois goza, ou seja, antes de ser impedido pela presença do colega de quarto.


Imagem retirada do vídeo,  continue lendo

Nenhum comentário: